» english version
» versión en español
   INSTITUCIONAL
   
» Principal
» Doações
» Fale Conosco
» Histórico
» Planejamento Estratégico
» Quem somos
» Sala de Imprensa
» Carta de Conduta
» Governança
   PROGRAMAS E AÇÕES
   
» Educação
» Trabalho e Renda
» Tecnologia Social
   REPORTER SOCIAL
   
» Artigos
» Entrevistas
» Notícias
» Mobilização Brasil
» Reportagens
   DOCUMENTOS LEGAIS
   
» Estatuto 2010
» Processos de Contas
   LICITAÇÕES
   
» Concluidas
» Em Andamento
      [  Enquete  ]  
null

      [  REPORTER SOCIAL »  ARTIGO »  Repórter social  ]  
Aumentar Letra :: Diminuir Letra
O lixo nosso de cada dia é arte e fonte de renda
por Lair Dorneles Quintana

Repórter social

Tema relacionado ao terceiro setor...

» Professor Ignay Sachs visita Fundação Banco do Brasil
» Fundação BB discute melhores práticas de governança no terceiro setor em encontro no MP da Paraíba
» MDS, Fundação BB e parceiros lançam trilogia "Fome Zero"
» Economia Solidária
» Com apoio da Fundação BB, Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome lança coletânea sobre Fome Zero

Reutilizar o lixo é dar nova utilidade a algo que iria fora.

Há muito tempo, o homem, no seu relacionamento com o meio ambiente, vem agredindo brutalmente a natureza. Tal fato tornou-se mais intenso após a Revolução Industrial, apartir de 1750, quando na Inglaterra, surgiram as primeiras máquinas e com elas a atividade industrial moderna.

Durante o século XIX, a Revolução Industrial espalhou-se para outros países ( França, Alemanha, Itália, Estados Unidos, Japão, Bélgica e Rússia), ampliando as agressões do homem ao meio ambiente. Com a Revolução Industrial, ocorreu uma grande urbanização ( fundação e crescimento das cidades). Os homens passaram a viver aglomerados em cidades. Isso ocorreu de forma intensa, problemas de habitação e de saneamento, como onde buscar água, onde depositar o lixo. O desejo de lucro ou de enriquecimento tem levado as sociedades humanas a danificarem a natureza de forma acentuada. Hoje, o desenvolvimento técnológico e as necessidades de abastecer, com bens e serviços, uma população que não para de crescer, pressionam os humanos a intervir cada vez mais sobre a natureza e a operar um volume imenso e diversificado de transformações nas matérias.

Vivemos numa sociedade que consome, ou usa muitos recursos. É a chamada " Sociedade de Consumo", existentes nos países capitalistas. Esses países desenvolveram um estílo de vida que exige muitos produtos. Esse estílo de vida consome muitos recursos naturais e produz lixo urbano que representa um grande problema para o ecossistema. Enquanto a natureza se mostra eficiente em reaproveitamento e reciclagem, os homens o são em produção de lixo.

Os ciclos naturais de decomposição e reciclagem da matéria podem reaproveitar o lixo humano. Porém uma grande parte deste lixo provoca um grande problema porque muitas substâncias manufaturadas pelo homem não são biodegradáveis.Quando o homem explora os recursos da terra e não os reutiliza ou recicla, o meio ambiente se polui com o refugo desses produtos. As grandes cidades não encontram espaço suficiente para abrigar o imenso e crescente volume de lixo que produzem.

Pesquisadores e ambientalistas apontam: Reduzir, Reutilizar e Reciclar. Os RRR são a chave para diminuir os problemas que o lixo pode causar. Reduzir significa que devemos nos esforçar para produzir menos lixo, comprando apenas o necessário, utilizando o máximo tudo o que compramos, evitando o desperdício. Devemos reutilizar isto é, dar nova utilidade a algo que iríamos jogar fora. O lixo urbano é muito rico. Não devemos jogá-lo fora grande parte do conteúdo de uma lata de lixo comum é aproveitável, é necessário que se faça a separação do lixo sólido do orgânico. A coleta seletiva reduz muito o volume de lixo nos aterros sanitários.

O problema do lixo não é só do governo a comunidade pode, e deve, participar desta tarefa. O lixo é fonte de sustento para diversas famílias. De problema a solução, o lixo passa por uma simples mudança de ponto de vista. Encontramos pessoas, catadoras de lixo, nos lixões das cidades. Elas separam garrafas de vidros, embalagens de plástico e papel para vender. Assim como os catadores de papel, elas conseguem o dinheiro necessário à sua sobrevivência. O lixo também pode ser reaproveitado na criação artesanal, com isto as pessoas além de contribuir com a preservação do meio ambiente podem aumentar sua renda familiar vendendo os objetos. Há soluções para o lixo, transformando entulho em obra de arte.

Os ganhos, para a sociedade, da coleta seletiva dos materiais recicláveis são inúmeros, podendo destacar a geração de emprego e uma melhor qualidade de vida para as pessoas de baixa renda. A maioria das pessoas não percebe ou não entende que a natureza deve ser respeitada e compreendida em seu conjunto. Se assim fosse, poderiam ser tomados cuidados para não danificá-la, em benefício da própria sobrevivência da nossa civilização e das gerações futuras.

(*) Professora de História e Geografia da Escola Municipal de Ensino Fundamental Papa João XXIII De Caxias do Sul.


Fonte: Envolverde/Assessoria
Data: 03/05/2007
   Repórter social
   Saiba mais   |   Matérias   |   Fotos       Agenda   
   FAÇA SUA BUSCA
 
Palavra-chave:
Pesquisa Avançada »
   BOLETIM ONLINE
 
Cadastre seu e-mail para receber semanalmente
DÚVIDAS
FÓRUM
AGENDA
BIBLIOTECA
MAPA DO SITE