Sexta, 19 Maio 2017 09:21

Nova unidade de processamento do baru em Arinos (MG) ampliará a produção Destaque

Escrito por Dalva de Oliveira
Avalie este item
(2 votos)

Incentivo à extração sustentável permite a valorização da castanha e sua preservação no meio ambiente

Inaugurada nessa quinta-feira, 18, nova agroindústria para processamento da castanha do baru. O projeto vai atender diretamente 50 extrativistas e agricultores familiares do município de Arinos (MG), com participação de jovens do meio rural, além de cem famílias indiretamente.

Com investimento social de R$ 333 mil da Fundação BB em dois projetos – Juventude Rural e Programa Ecoforte -, a Cooperativa de Agricultura Familiar Sustentável com Base na Economia Solidária (Copabase) construiu uma unidade de beneficiamento de 105 metros quadrados e adquiriu máquinas, como torradeira, seladora, balanças, despolpadora e quebradeira de frutos.

O novo empreendimento irá ampliar a capacidade produtiva, com meta de beneficiar dez toneladas já neste ano. O recurso também viabilizou a plantação de 3.450 pés do baru em 23 áreas de Arinos e de outros dois municípios vizinhos, Riachinho e Uruana. A gerente e coordenadora de projetos da Copabase, Dionete Figueiredo, explicou que essa intervenção foi necessária devido ao desaparecimento do baru na região, por conta dos trabalhos nas carvoarias.

A partir da inauguração da unidade, a Copabase iniciará campanha de promoção da castanha no movimento Slow Food - que promove melhoria na qualidade da alimentação e uma produção que valorize o produto, o produtor e a preservação da biodiversidade. Trata-se do programa Fortaleza do Baru, que divulgará os benefícios nutricionais do baru e sua extração limpa e justa por agricultores familiares.

“Os projetos e o apoio da Fundação BB por meio da Cooperativa Copabase foi um divisor de águas para o extrativismo na região do Vale do Rio Urucuia, principalmente para a cadeia do baru, que se tornou uma das atividades de geração de renda para diversas famílias e agora ganha mais força com o envolvimento de jovens”, declarou a coordenadora.

Segundo ela, o baru da região já é comercializado em todos os mercados locais e regionais, no varejo e por e-commerce. Também é vendido para o Mercado de Pinheiros (SP) e distribuidoras em São Paulo e Brasília. Recentemente ganhou destaque na gastronomia nacional ao ser utilizado por renomados chefs, como Alex Atala, ao integrar receitas populares, como os cookies, molho pesto, pães e bolos.

Sobre o Ecoforte - O Ecoforte Redes habilitou e atendeu 28 redes em todo o Brasil. O programa visa o fortalecimento da agricultura familiar com base na agroecologia, extrativismo e produção orgânica. A iniciativa é da Fundação Banco do Brasil, do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e parceiros, com investimento social total de R$ 34,6 milhões.

Sobre o Juventude Rural - desenvolvido na parceria entre Fundação Banco do Brasil e do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social - BNDES e Secretaria Nacional de Juventude - SNJ/SGPR, originou-se de ação emergencial voltada para a ampliação de direitos da Juventude Rural e está estruturado dentro do Programa de Fortalecimento da Autonomia Econômica e Social (Pajur). O projeto tem como objeto o apoio a projetos voltados à estruturação de empreendimentos econômicos coletivos, visando ao fortalecimento da autonomia econômica e social da juventude rural de base familiar.

A divulgação deste projeto contempla cinco Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, que fazem parte da Agenda da Organização das Nações Unidas com metas para o ano de 2030.

1 2 8 10 12 

 

 

Ler 543 vezes Última modificação em Terça, 30 Maio 2017 15:07

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.