Quarta, 19 Abril 2017 16:37

Reciclagem de óleo de fritura gera renda para associação paranaense Destaque

Escrito por Alenor Alves
Avalie este item
(1 Votar)

Aposta do projeto é o engajamento da população no sistema de coleta seletiva do município

Coletar óleo de fritura e impedir a poluição de mananciais é umas das iniciativas da Associação de Catadores de Resíduos Recicláveis e Reaproveitáveis de Santa Terezinha de Itaipu (Acaresti). A entidade recebeu no fim de março equipamentos, máquinas e caminhão para melhorar a coleta de óleo e de materiais recicláveis na cidade, com o investimento social total de R$ 310 mil da Fundação Banco do Brasil.

Com a cooperação técnica e financeira da Prefeitura Municipal, a coleta seletiva do município - localizado às margens da represa da hidrelétrica de Itaipu e a 627 quilômetros de Curitiba - se tornou referência, o que levou autoridades e técnicos de outros estados e até comitivas estrangeiras a conhecerem o tratamento de resíduos sólidos.

Darlei Sousa, coordenador técnico do centro de triagem da associação, explicou que a coleta seletiva tradicional, que recicla papel, plástico e metal, conta com adesão de 75 % da população. Com os novos equipamentos, será possível recolher o óleo de fritura em diversos pontos da cidade. “No inicio do projeto, esperamos recolher cerca de dois mil litros por mês. Até o fim do ano, com campanhas educativas, esperamos atingir 3,5 mil litros, o que corresponde a 50% do óleo de fritura consumido pela população”.

O sucesso do projeto de coleta seletiva se deve a participação da população, mobilizada por ações educativas. Segundo o diretor do departamento de meio ambiente da prefeitura, Paulo Henrique Squinzani, “uma frente de ação importante no processo de coleta seletiva é a conscientização das crianças, proporcionada pela educação ambiental junto às escolas do município”. Do óleo coletado, parte será transformada em sabão e o restante poderá ser transformado em biodiesel pela indústria local.

A gerente geral da agência BB em Santa Terezinha de Itaipu, Adriana Furlaneto, elogiou a entidade no tratamento dos resíduos sólidos. “Não temos catadores ambulantes no município. A associação é bastante organizada, com dias definidos para o recolhimento de material. Eles fazem toda a separação e destinação correta.”

A gerente destacou ainda que o projeto de coleta de óleo ira gerar mais renda para os participantes da associação. Com o reaproveitamento do óleo e fabricação de sabão, espera-se aumentar em 25% a renda dos 40 catadores que integram a Acaresti.

O projeto de reciclagem de óleo foi encaminhado a Fundação Banco do Brasil a partir da chamada interna de projetos de inclusão socioprodutiva, articulada diretamente com a agência do BB no município.

Prêmio Cidade Pró-Catador
A Acaresti, entidade criada em 2004, foi reconhecida em 2015 na 3ª edição do Prêmio Cidade Pró Catador, elaborado pela Secretaria de Governo da Presidência da República, como uma das quatro melhores iniciativas municipais de implementação de políticas de inclusão social e econômica de catadores.

Ler 506 vezes Última modificação em Quarta, 19 Abril 2017 16:44

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.