Segunda, 18 Dezembro 2017 14:17

Parceria leva água e saneamento básico para comunidades do Amazonas Destaque

Escrito por Dalva
Avalie este item
(1 Votar)

Projeto reduz incidência de doenças como malária e verminoses e aumenta frequência das crianças nas escolas

A Fundação Banco do Brasil e a Brasilcap reuniram esforços para garantir o acesso à água com qualidade para as famílias extrativistas dos municípios de Jutaí e Barcelos, no Amazonas, permitindo benefícios à saúde e ao bem-estar. Trata-se da reaplicação da tecnologia social “Sistema de Acesso à Água Pluvial para Consumo de Comunidades Extrativistas”.

Para a implantação de 74 unidades da tecnologia nas Reservas Extrativistas de Jutaí e Rio Unini, as entidades firmaram parceria com o Memorial Chico Mendes, para o Projeto Sanear, no valor de R$ 1,2 milhão. As primeiras unidades foram implantadas em abril deste ano e dois meses depois os resultados já eram percebidos - na qualidade e redução no tempo de coleta da água, melhoria na qualidade de vida das mulheres - com redução no tempo de execução das tarefas domésticas e privacidade no banho; redução na incidência doenças como malária e verminoses e ainda, redução nos atrasos e aumento de frequência dos estudantes nas escolas.

O Sistema consiste na instalação nos domicílios de um reservatório para captação de água de chuva com capacidade de mil litros e a construção de um banheiro com fossa que isola a dispersão do esgoto. O processo se completa com a implantação de um reservatório comunitário, abastecido com recurso hídrico do subsolo ou de um rio mais próximo. Após a captação, a água passa por tratamento e é distribuída às casas conectadas à tecnologia. Nos períodos de estiagem, quando a água captada nas residências não é suficiente para abastecer a família, a rede comunitária é acionada.

“Tivemos uma resposta positiva logo que iniciamos a reaplicação da tecnologia. As famílias daquela região precisam muito da nossa atenção. O isolamento torna as coisas muito difíceis, tanto que para chegar nessas comunidades, a distância fluvial é de no mínimo 32 horas”, disse Núbia Gonzaga, supervisora do projeto.

Vencedora do Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social 2015, na categoria "Comunidades Tradicionais, Agricultores Familiares e Assentados da Reforma Agrária", o método começou a ser implantado em 2009 pela Associação dos Produtores Rurais de Carauari - Asproc, nas comunidades do Médio Juruá, no Amazonas. Em 2014 foi adotada como política pública pelo Governo Federal. Além do Amazonas, a reaplicação foi estendida para os estados do Acre, Amapá e Pará, com a colaboração de outras entidades parceiras.

Este ano, para facilitar a disseminação e implementação dessa tecnologia e de outras sete propostas vencedoras, finalistas e certificadas pelo Prêmio, a Fundação BB produziu manuais digitais com noções e diretrizes relativas às técnicas. Elas foram sistematizadas com o intuito de orientar seus reaplicadores, tendo por base experiências bem sucedidas. A proposta consiste em disponibilizar as soluções aos interessados nessas metodologias.

Acesse o manual digital da TS Sanear aqui

A divulgação deste assunto contempla quatro Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, que fazem parte da Agenda da Organização das Nações Unidas com metas para o ano de 2030.

01ods 100x100 03ods 100x100 010ods 100x100 011 ods 100x100     

 

 

 

Ler 7148 vezes Última modificação em Segunda, 18 Dezembro 2017 14:27

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.