INSCRIÇÕES PRORROGADAS DO PRÊMIO VIVA VOLUNTÁRIO! PRAZO FINAL: 08/07

 

 

Para incentivar e valorizar o trabalho voluntário no Brasil, o governo federal criou em 2017 o Programa Nacional de Voluntariado – Viva Voluntário -  com o propósito de reunir esforços do setor público, do terceiro setor e da iniciativa privada para articular pessoas em ações transformadoras da sociedade.

[Banner Twitter] Viva voluntario Um espaço para quem doa seu tempo pelo próximo

 

 

Prêmio Viva Voluntário

O Prêmio Viva Voluntário é uma premiação inédita que reconhecerá iniciativas de transformação social promovidas por voluntários que contribuem para o alcance das metas estabelecidas pelos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da Organização Nacional das Nações Unidas (ONU).

Serão premiadas as iniciativas inscritas em quatro categorias: Organizações da Sociedade Civil, Setor Público, Empresarial e Líder Voluntário. Cada categoria terá dois projetos vencedores. No formulário, deverá constar sobre qual Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS) a proposta se enquadra.

A Fundação Banco do Brasil (FBB) apoiará com R$ 50 mil as iniciativas vencedoras nas categorias Voluntariado nas Organizações da Sociedade Civil, Voluntariado no Setor Público e Líder Voluntário.

 

Portal   vivavoluntário 1

 

Para mais informações, acesse o edital abaixo. Caso, já queira se inscrever entre nos formulários de inscrição e de apresentação de atividade de volutário.

- Edital

- Formulário de inscrição

- Formulário de apresentação de atividade do voluntário

Publicado em Paginas Internas

Cerca de 157 mil pessoas foram atendidas em todo o Brasil, em projetos nas áreas de educação e meio ambiente 

A Fundação Branco do Brasil lançou nesta segunda, dia 2, o Relatório de Atividades 2017, que traz a prestação de contas para a sociedade das ações e do investimento social realizado no ano passado. De acordo com o documento, em 452 municípios em todo o Brasil foram atendidas 157 mil pessoas em projetos nas áreas de educação, inclusão digital, agroecologia, agroindústria, resíduos sólidos, acesso à água potável, inclusão socioprodutiva, reaplicação de tecnologias sociais, entre outros.

O investimento total foi de R$ 142,8 milhões, sendo R$126,6 em recursos próprios e R$ 16,2 milhões de parceiros, já que a Fundação BB atua como articuladora de parcerias para promover o desenvolvimento sustentável no País.

Versão digital e hotsite

A novidade deste ano é que o relatório de atividades está disponível apenas em versão digital, um documento em pdf, em coerência com o cuidado ambiental que é um princípio orientador de todos os projetos desenvolvidos pela Fundação BB e seu instituidor, o Banco do Brasil.

A publicação também ganhou uma versão no hotsite fbb.org.br/relatorio2017, disponível em computador desktop. Na página, o usuário pode ter uma visão geral das principais ações da instituição em um mapa interativo com informações acionáveis pelo mouse e no menu da esquerda. 

Diretrizes

Pelo terceiro ano consecutivo a publicação segue as diretrizes da Global Reporting Initiative (GRI), na versão G4, que orienta os elementos mais relevantes de um relatório de sustentabilidade, além dos destaques do desempenho econômico, ambiental, social e de governança da instituição. Também foram incorporados os indicadores do suplemento setorial para ONG's da GRI, com informações específicas e mais relevantes para o terceiro setor.

Modelo portal interno

Publicado em Notícias

Em 2016 valor chegou a 2,9 bilhões, 19% inferior ao registrado em 2014, revelou relatório do PNUD

No Brasil, o investimento social privado na filantropia chegou a 2,9 bilhões de reais em 2016, valor equivalente a 0,23% do Produto Interno Bruto (PIB) nacional. O montante pode impressionar, mas está abaixo do necessário, aponta o novo relatório do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e da Plataforma de Filantropia. Lançado na última terça-feira (12), no Rio de Janeiro, documento aborda engajamento de entidades filantrópicas com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU.

O montante investido em filantropia em 2016 foi 19% inferior ao registrado para 2014. Nos Estados Unidos, o volume de recursos disponibilizados para a área equivale a 2% do PIB, bem acima da proporção identificada no Brasil. Segundo o relatório, a filantropia no país sul-americano está concentrada em organizações e empresas, com pouco volume de doações individuais.

A publicação “Filantropia e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável: engajando o investimento social privado na agenda do desenvolvimento global” é resultado da parceria de fundações nacionais e institutos como a Fundação Banco do Brasil, a Fundação Roberto Marinho, a Rede Globo, o Instituto C&A, o Itaú, a Fundação Itaú Social, e o Instituto Sabin, além de ter o apoio apoio de GIFE, IDIS, WINGS e Comunitas.

Ainda de acordo com a pesquisa, a educação é a área que recebe mais investimento social privado no Brasil (84%), seguida pelo desenvolvimento profissional e cidadão para jovens (60%) e artes e cultura (51%). A área de direitos humanos tem ganhado força nos investimentos privados, crescendo 14% de 2014 a 2016.

No país, as doações filantrópicas tendem a focar em grupos específicos, com destaque para aqueles relacionados à juventude. As doações para iniciativas sobre questões de gêneros ainda são muito baixas, representando 4% dos investimentos. Em relação a questões raciais, o investimento foi ainda menor — 2%.

Segundo o levantamento, o Brasil apresenta um ambiente relativamente bem estruturado de redes e organizações para a filantropia. Além disso, é um dos quatro países da região da América Latina e do Caribe a ter uma associação formal de fundações filantrópicas. Os ODS são conhecidos e utilizados pela maioria das instituições filantrópicas do país como suporte nas decisões. A necessidade de promover impactos sociais robustos é um dos pontos comuns às agendas de trabalho do setor e das Nações Unidas.

“Estamos criando aqui uma grande rede com a participação da ONU e tendo como norte os ODS”, afirmou a representante-assistente do PNUD, Maristela Baioni, durante o evento de lançamento, que reuniu representantes de diferentes fundações e institutos filantrópicos. “O que nos move é garantir um presente digno e de justiça social. Estamos aqui para ampliar a integração e a sinergia para esse objetivo.”

A distribuição dos investimentos no Brasil ainda é altamente concentrada geograficamente. O Sudeste é a região que mais recebe recursos, seguido do Nordeste. Os investimentos em filantropia no Brasil, em sua ampla maioria, vão para projetos com impacto restrito ao país.

O diretor do Centro Internacional do PNUD em Istambul para o Setor Privado, Marcos Neto, convocou os representantes da filantropia brasileira a se envolver no cumprimento dos ODS. “Temos uma narrativa comum e temos responsabilidade. A gente pode e deve trabalhar juntos. O relatório e este encontro demonstram que os desafios são grandes, mas as oportunidades são ainda maiores”, ressaltou.

Além do panorama sobre a filantropia no Brasil, o documento apresenta recomendações sobre como aprimorar a estrutura regulamentadora do Estado para estimular o potencial filantrópico do Brasil; aproximar a filantropia da sociedade civil, conquistando confiança e promovendo transparência; e ampliar os laços entre diferentes organizações e instituições para fortalecer o impacto das ações, tendo os ODS como guias.

Acesse o relatório “Filantropia e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável: engajando o investimento social privado na agenda do desenvolvimento global” (Documento em inglês).

A Plataforma de Filantropia foi criada ao final do ano passado, sob a coordenação de empresas e organizações parceiras e associações de filantropia, com o apoio do PNUD. Com a iniciativa, o Brasil tornou-se o oitavo país-piloto a lançar a Plataforma, ao lado do Quênia, Gana, Zâmbia, Indonésia, Colômbia, Estados Unidos e Índia. Saiba mais clicando aqui.

Fonte: ONUBR

A divulgação deste assunto contempla todos os 
Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, que fazem parte da Agenda da Organização das Nações Unidas com metas para o ano de 2030.

01ods 100x100 02ods 100x100 03ods 100x100 04ods 100x100 05ods 100x100 07ods 100x100 08ods 100x100 09ods 100x100 010ods 100x100 011 ods 100x100 012ods 100x100 013ods 100x100014ods 100x100 015ods 100x100 016ods 100x100 017ods 100x100

Publicado em Notícias

Fundação BB e entidades do terceiro trocam ideias sobre voltadas para desenvolvimento sustentável

A Fundação Banco do Brasil participou do seminário “Diálogos do setor de Investimento Social Privado e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável no Brasil”, realizado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) dia 31 de maio, em São Paulo. O encontro reuniu uma série de institutos e fundações, além de pesquisadores e representantes de governos e organismos internacionais, para discutir estratégias de alinhamento entre o investimento social e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

A iniciativa teve como recurso indutor a Plataforma Filantropia, um esforço global que oferece dados sobre a atuação dos investidores sociais nos ODS e busca alavancar recursos e aumentar o impacto de programas e projetos, direcionando os ODS a um planejamento de desenvolvimento nacional. Além do diálogo sobre desafios comuns, o evento foi um convite para que empresas, institutos e fundações façam parte do movimento.

Além da Fundação BB, outras organizações nacionais e internacionais foram parceiras na realização do evento: Rockefeller Philanthropy Advisory, Foundation Center, Instituto C&A, Itaú Cultural, Itaú, Fundação Roberto Marinho, Rede Globo, Instituto Sabin, GIFE, IDIS, WINGS e Comunitas.

A agenda do encontro se organizou, basicamente, em duas frentes: discussões sobre o papel de institutos e fundações familiares e do investimento social de perfil corporativo. Representantes de empresas, institutos e fundações levaram suas experiências no uso dos ODS em seus planejamentos e apontaram desafios e oportunidades de atuação.

"Os ODS têm sido norteadores para ações da Fundação BB e de muitas organizações do terceiro setor. Um evento como esse ajuda a aprofundar a reflexão e a troca de ideias sobre as possibilidades de pautar novas ações para o desenvolvimento sustentável", afirma o assessor da Fundação BB Bruno Moraes.

Para saber mais sobre a Plataforma de Filantropia, acesse sdgfunders.org

A divulgação deste texto contempla todos os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, que fazem parte da Agenda da Organização das Nações Unidas com metas para o ano de 2030.

01ods 100x100 02ods 100x100 03ods 100x100 04ods 100x100 05ods 100x100 06 ods100x100 07ods 100x100 08ods 100x100 09ods 100x100 010ods 100x100 011 ods 100x100 012ods 100x100 013ods 100x100 014ods 100x100 015ods 100x100 016ods 100x100 017ods 100x100


Publicado em Notícias