Portal Interno   Encontro TS

Evento foi marcado por palestras, painéis, trocas de experiências e o lançamento da plataforma Transforma

O uso das tecnologias sociais como ferramenta para solucionar problemas sociais e a sua importância para o desenvolvimento social do país foi tema do Encontro de Tecnologia Social, realizado pela Fundação Banco do Brasil em Brasília (DF), nessa terça-feira (15).

O evento reuniu representantes das tecnologias sociais finalistas da edição de 2019, funcionários da Fundação BB, das entidades parceiras e apoiadoras da 10ª edição do Prêmio para trocas de experiências, com o propósito de contribuir para maior compreensão e propagação do tema entre a academia, sociedade e setor público, como estímulo à construção de uma cultura da sustentabilidade aliada à ética socioambiental.

O encontro foi marcado por palestras e palco simultâneos, além de painéis com experiências nacionais e internacionais no campo das tecnologias sociais,em áreas urbanas e rurais. Convidada para abrir o evento, a diretora executiva da Casa 7 Memórias e Aprendizagens, Cristina Meirelles, proferiu a palestra “Importância da sistematização no desenvolvimento e nos avanços das tecnologias sociais”. Em seguida, o diretor-presidente da consultoria Ideia Sustentável e publisher da revista homônima, Ricardo Voltolini, fez a explanação “Tecnologias Sociais e Sustentabilidade”.

"As iniciativas sociais, mesmo as pequenas, geram um grande capital de conhecimento. Esse conhecimento, que chamamos de tecnologia social, sistematizado e disseminado, pode impactar na construção de políticas públicas. E como são ações locais, temáticas e arraigadas com a comunidade, na minha opinião, são as melhores soluções. A grande contribuição é essa, o conhecimento e as experiências que elas criam lá no local e que podem inspirar a construção de políticas", destacou Cristina Meirelles.

Para Ricardo Voltolini existe hoje um cenário muito favorável para as tecnologias sociais. “Estamos vivendo um momento importante nessa discussão, com novos líderes ligados à empresas, institutos e fundações empresariais, que representam uma grande força de trabalho no mundo. E eles já escolheram em que empresa querem trabalhar e investir nas mais sustentáveis”.

Nájla Veloso, coordenadora da FAO Brasil destacou a feliz coincidência do encontro acontecer na mesma data em que se comemora o Dia Mundial da Alimentação. A FAO é uma das parceiras no Prêmio para incentivar a valorização do trabalho no campo. "E o nosso lema é: as nossas ações transformam realidades, e é muito importante valorizar o campo para que as pessoas possam ter uma alimentação saudável", declarou.

“A representação Unesco no Brasil participa desde a primeira edição do Prêmio, e a cada edição notamos o quanto vem inovando e sofisticando a sua plataforma de tecnologia social. Ela tem um potencial de transformação social que vai deixar um legado muito grande para o Brasil, destacou Fábio Eon, coordenador dos Setores de Ciências Naturais e de Ciências Humanas e Sociais da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura – Unesco.

“É um prazer participar mais uma vez da edição do prêmio. Tivemos a oportunidade de conhecer cada iniciativa por vídeo, por papel, e hoje é um dia que estamos ansiosos para conhecer todos de perto”, Em dez anos de parceria, é este o sentimento que Daniela Arantes, chefe do Departamento de Gestão Pública de Municípios e Inclusão Produtiva do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES.

Durante o evento foi lançado a plataforma digital Transforma (transforma.fbb.org.br), que abriga as iniciativas certificadas nas dez edições do Prêmio de Tecnologia Social da Fundação BB, em substituição ao antigo Banco de Tecnologias Sociais (BTS).

Foram lançados, ainda, a cartilha Moradia Urbana com Tecnologia Social – MUTS e vídeo institucional em comemoração aos cinco anos de parceria da Rede Internacional de Ação Comunitária – Rede Interação com a Fundação BB. O projeto MUTS, uma iniciativa liderada pelo Banco do Brasil e Fundação BB, com o apoio da Rede Interação, vem atuando na reaplicação de tecnologias sociais em empreendimentos populares em várias regiões do pais, com o objetivo de complementar o trabalho social já realizado pelos governos.

Também estiveram presentes no evento, Asclepius Ramatiz Lopes Soares (Pepe), Carlos Arboleda, representante Residente do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento – PNUD no Brasil, Isaac Nicholas Siqueira Viana, gerente Executivo da BB Tecnologia e Serviços – BBTS, Gerson Wlaudimir Falcucci, Presidente da Ativos S.A, Ely Harasawa, secretária nacional de Promoção do Desenvolvimento Humano do Ministério da Cidadania, Maria Cláudia Ferrari de Castro, diretora do Departamento de Tecnologias e Programas de Desenvolvimento Sustentável e Sociais do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações.

As tecnologias sociais vencedoras serão conhecidas na noite desta quarta-feira, 16, no evento de premiação que irá ocorrer na cidade de Brasília. A cerimônia de premiação será retransmitida ao vivo a partir das 20h pelo Facebook.

Publicado em Notícias

Portal Interno   Sinfonia Diferente

Vinte e uma iniciativas nacionais e três internacionais concorrem à premiação 

Os vencedores do Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social serão conhecidos na noite desta quarta-feira (16). O anúncio será feito durante cerimônia em Brasília (DF). A décima edição tem 24 tecnologias sociais finalistas dos estados de Alagoas, Amazonas, Ceará, Distrito Federal, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Pernambuco, Paraná, Rio Grande do Sul, São Paulo, Santa Catarina e Sergipe. Elas irão dividir R$ 700 mil em premiações, sendo R$ 50 mil para o primeiro colocado, R$ 30 mil para o segundo e R$ 20 mil para o terceiro de cada categoria. As iniciativas do exterior, que concorrem na categoria internacional são da Guatemala, Colômbia e República Dominicana. As categorias nacionais em disputa são: Cidades Sustentáveis e/ou Inovação Digital; Educação; Geração de Renda e Meio Ambiente e as premiações especiais: Mulheres na Agroecologia, Gestão Comunitária e Algodão Agroecológico e Primeira Infância, além da categoria Internacional, destinada a iniciativas da América Latina e do Caribe.

Todas as 21 finalistas nacionais e as três finalistas internacionais receberão um troféu e um vídeo retratando a iniciativa. Elas também participam do Encontro de Tecnologia Social, que será realizado em Brasília (DF), nesta terça-feira (15).uma sinfonia diferente3 

A tecnologia social “Uma Sinfonia Diferente - musical para pessoas com autismo”, do Instituto Steinkopf, de Brasília (DF), foi uma das vencedoras de 2017, na categoria Saúde e Bem-Estar. 
Com o método, a entidade busca conscientizar a população sobre o tema, além de incluirsocialmente a pessoa com autismo como protagonista e agente cultural. O projeto também promove a saúde e bem-estar dos autistas e seus familiares. De acordo com a idealizadora e responsável pela técnica, Ana Carolina Steinkopf, com o reconhecimento do prêmio da Fundação BB, a metodologia ganhou força para intensificar as pesquisas, levar a tecnologia social para outras cidades e triplicar o número de vagas para novos participantes. “O prêmio trouxe maturidade e credibilidade para a Sinfonia. Depois do prêmio, aumentamos o número de atendimentos para 140 pessoas com autismo por semestre, capacitamos mais de 200 voluntários e implantamos o método nas cidades de Porto Alegre (RS), Belo Horizonte (MG), São Luís (MA), Imperatriz (MA) e Belém (PA) e estamos em fase de implantação em Barcelona (Espanha)", declarou a idealizadora da técnica.

Neste ano, a premiação recebeu 801 inscrições. Dessas, 123 tecnologias sociais passaram a fazer parte do Banco de Tecnologias Sociais (BTS), uma base de dados online que reúne metodologias reconhecidas por promoverem a resolução de problemas comuns às diversas comunidades brasileiras. Hoje são 1.110 iniciativas aptas e disponíveis para reaplicação.

Essa edição tem a parceria do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Instituto C&A, Ativos S/A e BB Tecnologia e Serviços, além da cooperação da Unesco no Brasil e apoio da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), Ministério da Cidadania e Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC).

Encontro de Tecnologias Sociais

Antecedendo à divulgação e premiação das vencedoras, no dia 15, a Fundação BB vai reunir finalistas de 2019, vencedoras de anos anteriores, parceiros no prêmio e especialistas no tema para debater sobre a importância das tecnologias sociais para o desenvolvimento social do país. O Encontro tem o propósito de contribuir para maior compreensão e propagação da temática entre academia, sociedade e setor público, como estímulo à construção de uma cultura da sustentabilidade aliada à ética socioambiental. A atividade será composta por duas palestras: "A importância da Sistematização no desenvolvimento e nos avanços das tecnologias sociais”, com Cristina Meirelles, da Casa 7 e “Desenvolvimento Sustentável e as Tecnologias Sociais”, com Ricardo Voltolini, da Ideia Sustentável.

Serviço:

O quê: Prêmio Fundação BB de Tecnologia Social 2019
Quando: 16 de outubro (quarta-feira), às 20 horas
Local: Hotel Royal Tulip Brasília Alvorada - SHTN Trecho 1, Conjunto 1B, Asa Norte, Brasília - DF

Publicado em Notícias

Portal Interno Finalistas Educação

As iniciativas são de Viçosa (MG), São Paulo (SP)  e Itambé (PE) e já passam a integrar o Banco de Tecnologias Sociais da Fundação BB

As três finalistas da categoria Educação do Prêmio Fundação BB de Tecnologia Social de 2019 já foram selecionadas. As propostas concorrem aos prêmios de R$ 50 mil para o primeiro colocado, R$ 30 mil para o segundo e R$ 20 mil para o terceiro. Cada tecnologia social será avaliada pelo seu nível de interação junto à comunidade, transformação social proporcionada, inovação e facilidade na reaplicação.

Além de concorrer ao prêmio, que será entregue em cerimônia de premiação no dia 10 de outubro, os finalistas foram convidados a participar do Encontro de Tecnologia Social, a ser realizado em Brasília (DF), na véspera do evento.

As iniciativas já fazem parte do Banco de Tecnologias Sociais (BTS), base de dados on-line que reúne atualmente 1.110 metodologias certificadas por solucionarem problemas comuns às diversas comunidades brasileiras nas áreas de: Alimentação, Educação, Energia, Habitação, Meio Ambiente, Recursos Hídricos, Renda e Saúde.

Conheça os projetos finalistas da categoria Educação:

A “Escola Ativa”, de São Paulo (SP), tem o objetivo de fortalecer o papel da escola na prática esportiva e na movimentação corporal, garantindo o direito dos alunos de serem ativos e saudáveis. O foco está em sensibilizar e mobilizar a comunidade escolar para a importância do exercício físico, além de capacitar professores e gestores para a aplicação de uma metodologia que amplie o acesso dos alunos às práticas esportivas.

“Tecnologias Sociais e Formação em Ciências da Natureza de Educadores do Campo”, foi idealizado no curso de licenciatura em Educação do Campo da Universidade Federal de Viçosa. Focado em Ciências da Natureza (Biologia, Química e Física), a ideia é promover um aprendizado significativo e apropriado para as escolas do campo, com conceitos agroecológicos. 

E a tecnologia social “Vamos encurtar essa história?”, de Itambé (PE), tem como objetivo despertar o interesse de estudantes pela escrita e leitura, incentivando a produção de releituras de suas histórias preferidas e o uso de tecnologias, propondo a filmagem de um curta-metragem a partir da produção dos roteiros dos alunos.

Para o presidente da Fundação BB, Asclepius Soares “o Prêmio é um dos mais importantes do Terceiro Setor, pois ajuda a disseminar iniciativas simples, de baixo custo, mas com grande potencial de transformação. As tecnologias finalistas na categoria Educação,  buscam soluções para situações vivenciadas no dia-a-dia dos estudantes e compartilham ideias e práticas que podem ser reaplicadas em outras localidades”, avalia.

Nesta edição o Prêmio Fundação BB de Tecnologia Social tem a parceria do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Instituto C&A, Ativos S/A e BB Tecnologia e Serviços, além da cooperação da Unesco no Brasil e apoio da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), Ministério da Cidadania, Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC).

Confira as outras categorias finalistas aqui

Conheça as 123 tecnologias sociais Certificadas de 2019

Conheça o BTS aqui

Publicado em Notícias

Portal Interno Certificadas

As 123 iniciativas já integram o Banco de Tecnologias Sociais e concorrem à premiação final. Na foto, a tecnologia social Mulheres e Agricultura Urbana fortalecendo redes, de Recife (PE).

O Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social certificou 118 iniciativas brasileiras e cinco da América Latina e do Caribe, nesta décima edição do concurso. As novas tecnologias são das cinco regiões do Brasil e passaram a fazer parte do Banco de Tecnologias Sociais (BTS). Da região Nordeste: Alagoas (3), Bahia (6), Ceará (5), Pernambuco (5), Paraíba (8), Piauí (1), Rio Grande do Norte (1) e Sergipe (1); região Norte: Amazonas (4), Pará (2) e Roraima (1); região Sul: Rio Grande do Sul (10), Santa Catarina (4) e Paraná (9); região Sudeste: Espírito Santo (1), Minas Gerais (12), Rio de Janeiro (13) e São Paulo (25); e da região Centro-Oeste: Goiás (2), Distrito Federal (4), Mato Grosso (1). As internacionais são da República Dominicana (1), Guatemala (2), Colômbia (1) e da Argentina (1). Confira a lista completa aqui.

As metodologias foram reconhecidas como soluções capazes de causar impacto positivo e efetivo na vida das pessoas, já foram implementadas em âmbito local, regional ou nacional e passíveis de serem reaplicadas. A premiação é destinada a entidades sem fins lucrativos, como instituições de ensino e de pesquisa, fundações, cooperativas, organizações da sociedade civil e órgãos governamentais de direito público ou privado, legalmente constituídas no Brasil e países da América Latina e do Caribe.

A próxima fase da premiação será a divulgação da lista com as 24 finalistas, prevista para a segunda quinzena deste mês. Esta seleção leva em conta critérios de: efetividade, inovação, sistematização da tecnologia e a interação com a comunidade, que também analisa o potencial de transformação social e a reaplicabilidade das iniciativas. As vencedoras serão anunciadas no evento de premiação, previsto para acontecer em outubro.

As finalistas vão concorrer a R$ 700 mil em prêmios divididos entre as categorias nacionais: Cidades Sustentáveis e/ou Inovação Digital; Educação; Geração de Renda e Meio Ambiente e as premiações especiais: Mulheres na Agroecologia, Gestão Comunitária e Algodão Agroecológico e Primeira Infância, sendo R$ 50 mil para o primeiro colocado, R$ 30 mil para o segundo e R$ 20 mil para o terceiro de cada uma das categorias . A edição deste ano também irá reconhecer três iniciativas do exterior na categoria Internacional, destinada a iniciativas da América Latina e do Caribe, onde serão identificadas tecnologias sociais que possam ser reaplicadas no Brasil e que constituam efetivas soluções para questões relativas a Cidades Sustentáveis e/ou Inovação Digital; Educação, Geração de Renda e Meio Ambiente.

As 21 finalistas nacionais e as três finalistas internacionais vão ganhar um troféu e um vídeo retratando a iniciativa. Além disso, serão convidadas a participar do Encontro de Tecnologia Social, a ser realizado em Brasília (DF), antecedendo a noite de premiação.

Nesta edição o Prêmio Fundação BB de Tecnologia Social tem a parceria do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Instituto C&A, Ativos S/A e BB Tecnologia e Serviços, além da cooperação da Unesco no Brasil e apoio da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), Ministério da Cidadania, Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC).

Banco de Tecnologias Sociais

O BTS é uma base de dados on-line que reúne atualmente 1.110 metodologias certificadas por solucionarem problemas comuns às diversas comunidades brasileiras nas áreas de: Alimentação, Educação, Energia, Habitação, Meio Ambiente, Recursos Hídricos, Renda, Saúde. Acesse aqui para conhecer.

Publicado em Notícias

Portal Desalinizador

Foram 781 inscrições nacionais e 20 internacionais; evento de premiação está previsto para outubro

A décima edição do Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social recebeu propostas de 25 estados da federação e do Distrito Federal. Ao todo foram inscritas 801 iniciativas, sendo 781 da categoria Nacional e 20 da categoria Internacional.

O estado de São Paulo enviou o maior número de inscrições, 154, seguido pelo Paraná com 87. Já a categoria com mais propostas recebidas foi Educação, com 370 iniciativas. As inscrições internacionais vieram da Argentina, Colômbia, Guatemala, Honduras, Peru e República Dominicana, totalizando 20 iniciativas.Para as premiações especiais foram cadastradas 355 propostas, todas inseridas nas categorias nacionais, sendo 96 para Gestão Comunitária e Algodão Agroecológico; 100 para Mulheres na Agroecologia e 159 para a Primeira Infância.

Representante TS Dessalinizador

A partir de agora uma comissão julgadora da Fundação BB certificará as tecnologias sociais que passarão a fazer parte do Banco de Tecnologias Sociais (BTS). As experiências precisam ser reconhecidas como soluções capazes de causar impacto positivo e efetivo na vida das pessoas, já implementadas em âmbito local, regional ou nacional e passíveis de serem reaplicadas. O BTS é uma base de dados on-line que reúne atualmente 986 metodologias certificadas por solucionarem problemas comuns às diversas comunidades brasileiras. Acesse aqui para conhecer o BTS. A divulgação das tecnologias sociais certificadas está prevista para a primeira quinzena de julho. 

Ainda na primeira quinzena de julho também serão conhecidas as 24 finalistas . A seleção leva em conta o mérito de efetividade, inovação, sistematização da tecnologia e a interação com a comunidade. Para a escolha das tecnologias finalistas, além dos critérios anteriores, o júri considera também o potencial de transformação social e a reaplicabilidade das iniciativas. As vencedoras do Prêmio serão anunciadas em no evento previsto para acontecer em outubro.

Neste ano, o total da premiação é de R$ 700 mil, divididos entre as categorias nacionais: "Cidades Sustentáveis e/ou Inovação Digital”; “Educação”; “Geração de Renda" e "Meio Ambiente” e as premiações especiais: “Mulheres na Agroecologia”, “Gestão Comunitária e Algodão Agroecológico” e “Primeira Infância”. O Prêmio é destinado a instituições de ensino e de pesquisa, fundações, cooperativas, organizações da sociedade civil e órgãos governamentais de direito público ou privado, legalmente constituídas no Brasil ou nos demais países da América Latina ou do Caribe.

A categoria Internacional irá reconhecer três iniciativas do exterior, destinada a iniciativas da América Latina e do Caribe, onde serão identificadas tecnologias sociais que possam ser reaplicadas no Brasil e que constituam efetivas soluções de impacto social. Propostas que promovam a igualdade de gênero e o protagonismo e empoderamento da juventude receberão um bônus de 5% na pontuação total obtida na classificação final, conforme previsto no regulamento.

Nesta edição, o Prêmio Fundação BB de Tecnologia Social tem a parceria do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Instituto C&A, Ativos S/A e BB Tecnologia e Serviços, além da cooperação da Unesco no Brasil e apoio da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), Ministério da Cidadania e Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC).

Publicado em Notícias

Portal Ultimos dias Premio

Entidades do Brasil, da América Latina e do Caribe podem se inscrever até o dia 12 de maio

Está acabando o prazo para as inscrições do Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social, considerado um dos principais do terceiro setor no país. Entidades sem fins lucrativos, como instituições de ensino e de pesquisa, fundações, cooperativas, organizações da sociedade civil e órgãos governamentais de direito público ou privado, legalmente constituídas no Brasil ou nos demais países da América Latina ou do Caribe podem realizar as inscrições até o próximo domingo (12 de maio) por meio do site www.fbb.org.br/premio

As vencedoras serão conhecidas na premiação, prevista para outubro. Todas as categorias são relacionadas aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Nas categorias nacionais e nas premiações especiais, os finalistas irão concorrer a R$ 700 mil reais em prêmios, sendo R$ 50 mil para o primeiro colocado, R$ 30 mil para o segundo e R$ 20 mil para o terceiro. Todas as instituições finalistas, incluindo as categorias internacionais irão receber um troféu e um vídeo retratando sua iniciativa. As tecnologias sociais que promovem a igualdade de gênero e o protagonismo e empoderamento da juventude receberão um bônus de 5% na pontuação total obtida na classificação.

Promovido a cada dois anos, o Prêmio Fundação BB de Tecnologia Social reconhece e certifica tecnologias sociais para que passem a integrar o Banco de Tecnologias Sociais (BTS) – uma base de dados on-line que apresenta soluções para demandas sociais, desenvolvidas por instituições de todo o País, que podem ser consultadas por tema, entidade executora, público-alvo, região, UF, entre outros. As informações sobre as tecnologias sociais abrangem o problema, a solução adotada, a forma de envolvimento da comunidade, os municípios atendidos, os recursos necessários para implementação de uma unidade da Tecnologia Social, entre outros detalhamentos. Atualmente o BTS apresenta 986 tecnologia sociais do Brasil e da América Latina. Para consultar o BTS, acesse: http://tecnologiasocial.fbb.org.br/tecnologiasocial

Confira as categorias desta edição:

       Categorias nacionais:

  • "Cidades Sustentáveis e/ou Inovação Digital”
  • “Educação”
  • “Geração de Renda”
  • “Meio Ambiente”

      Premiações especiais:

  • “Mulheres na Agroecologia”
  • “Gestão Comunitária e Algodão Agroecológico”
  • “Primeira Infância”

      Categoria internacional

  • "Cidades Sustentáveis e/ou Inovação Digital”
  • “Educação”
  • “Geração de Renda”
  • “Meio Ambiente”

Nesta edição, o concurso tem a parceria do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Instituto C&A, Ativos S/A e BB Tecnologia e Serviços, além da cooperação da Unesco no Brasil e apoio da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), Ministério da Cidadania e Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC).

 

Publicado em Notícias