Mostrando itens por marcador: sustentabilidade

Carlos Simino utilizou 7 mil blocos que ele mesmo produziu para erguer a residência de 55 m2

Após três anos trabalhando junto com a esposa, Carlos Simino sente orgulho de seu novo lar: uma casa de 55 metros quadrados feita com 7 mil tijolos ecológicos, todos produzidos pelo casal e transportados para o terreno, localizado num condomínio em Sobradinho (DF). "É a realização de um sonho para mim e para minha família. Uma coisa que lutei muito para conseguir, é muita emoção!", afirma Simino.

Ele trabalha como assessor na Fundação Banco do Brasil, por isso pode se dedicar à construção somente nos fins de semana. Na Fundação BB, o contato com as tecnologias sociais (soluções econômicas e sustentáveis para desafios da sociedade) chamou a atenção do assessor para alternativas que poderiam ser empregadas na nova moradia. Foi aí que teve a ideia de construir com o tijolo ecológico. É uma opção mais barata que o tijolo cermenoâmico industrial e não causa danos ao meio ambiente.

Os blocos convencionais usam argila ou barro retirados das margens de rios e consomem lenha para o aquecimento do forno, o que resulta em emissão de gases na atmosfera. O tijolo ecológico leva terra e 10% de cimento, sem necessidade de ir ao forno. O processo de cura ocorre ao passar a semana ao sol, precisando ser molhado duas vezes ao dia.

Para produzir as peças foi usada uma máquina de prensar manual adquirida ao custo de R$3.600. Simino e a mulher contaram com a ajuda de um caseiro para molhar os tijolos durante a semana.

Simino calcula que teve uma economia de 30% do gasto total caso tivesse usado material convencional e mão de obra contratada. O custo é menor porque não é preciso utilizar reboco como revestimento, a quantidade de argamassa para unir os blocos é bem menor e não precisa usar madeira para fazer o que é chamado de caixaria. Há também outras vantagens, explica Carlos. “Por esse tijolo ter furos ele cria uma espécie de duto que você utiliza tanto para fazer fiação elétrica, como para passar encanamento hidráulico, e não precisa quebrar a parede. Além de economia, o tijolo se torna um isolante natural tanto térmico quanto acústico”.        

Construir a casa também teve um aspecto sentimental para o funcionário da Fundação BB: o pai dele, morto em novembro do ano passado, era mestre de obras e foi com quem aprendeu habilidades na construção, quando ajudou a erguer a casa da mãe, na década de 80. "O fato de meu pai ter sido construtor pesou bastante para eu tomar a decisão de encarar essa empreitada", disse.         

Ideia compartilhada

Carlos não é o único no condomínio a seguir princípios ecológicos na construção da moradia. Vizinhos adotaram o tijolo ecológico e outras práticas amigas do meio ambiente, como o uso racional de energia e de água.

Urbano Villela e o filho estão pondo a mão na massa para construir uma casa de tijolos ecológicos de 240 metros quadrados. Em 2016, eles haviam visto uma reportagem sobre a iniciativa do Carlos na televisão. Depois descobriram que ele é morador do condomínio, o que foi decisivo para a escolha do tijolo ecológico.

“A gente está aprendendo. Está se dando conta de que isso pode ser útil, amanhã ou depois, pra passar essa experiência pra outras pessoas e isso é importante pra gente”, afirmou Urbano.

Portal   BOX tijolo

 

 

 

Publicado em Notícias

Participação do ambientalista Sérgio Besserman, do coordenador nacional do Movimento da Articulação do Semiárido Brasileiro (ASA), Naidison de Quintella Baptista, e de Joaquim Gondim, Superintendente de Operações da ANA – Agência Nacional de Águas

Bem mais precioso do Planeta, a água está no foco dos grandes debates mundiais. Em pleno século XXI, milhões e milhões de seres humanos vivem sem água encanada e sem acesso à água potável (ou à água de qualquer qualidade). Nas cidades, rios viram esgotos a céu aberto, cursos de água são desviados para uso privado, oceanos recebem toneladas de dejetos. O que o homem deste século deixará para as próximas gerações? Estes e outros questionamentos estarão no cerne da conversa do dia 16 de março, dentro da programação da mostra de cinema PLANETA ÁGUA, realizada pela Fundação Banco do Brasil e Centro Cultural Banco do Brasil Brasília. A partir das 15h, no Teatro do CCBB, os especialistas Sérgio Besserman, Naidison de Quintella Baptista e Joaquim Gondim, com mediação da jornalista Bárbara Lins, estarão debatendo ‘Água e Sustentabilidade’. A entrada é franca, mas é preciso retirar senha com antecedência na bilheteria (sujeito à lotação do teatro).

A água – ou a falta dela – está no cerne das preocupações dos países que trabalham para melhorar a qualidade de vida de pessoas de todo o mundo. Dentre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), traçados em 2015, estão o acesso universal e equitativo à água potável; o uso de tecnologias de baixo custo para obtê-la; diminuição e até eliminação do despejo na água de produtos químicos e lixo; e recuperação de ecossistemas. Estes e outros assuntos deverão perpassar o debate que contará com a presença de Sérgio Besserman, Naidison de Quintella e Joaquim Gondim, Superintendente de Operações e Eventos Críticos da ANA – Agência Nacional das Águas.

​Ambientalista ativo e conceituado, Sérgio Besserman é um dos mais respeitados intelectuais cariocas. Formado em economia, foi ganhador do Prêmio BNDES em 1987, presidiu o IBGE e trabalha no tema Mudanças Climáticas desde 1992, tendo sido membro da missão diplomática brasileira em duas Conferências das Partes da ONU. Sérgio Besserman é irmão do falecido humorista Bussunda. Atualmente, é professor da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro e presidente do Instituto de Pesquisa Jardim Botânico do Rio de Janeiro.

Naidison de Quintella Baptista é técnico em Desenvolvimento Social do Movimento de Organização Comunitária. Baiano de Salvador, coordena nacionalmente a ASA – Articulação do Semiárido Brasileiro, que atua a partir de duas grandes frentes: P1MC (Programa 1 Milhão de Cistenas, que visa construir um milhão de cisternas no Nordeste brasileiro) e P1+2 (Programa Uma Terra e Duas Águas, que fornece dois tipos diferentes de água para cada propriedade, uma para beber e outra para produzir).

Superintendente de Operações e Eventos Críticos da ANA – Agência Nacional de Águas, Joaquim Gondim é engenheiro civil com especialização em Recursos Hídricos, formado pela Universidade Federal de Pernambuco. Mestre em Hidrologia e Economia Rural e Agrícola, pela Universidade Federal do Ceará, ele deve falar sobre crises hídricas no Brasil, crises de rios como o sistema Cantareira (SP), Paraíba do Sul (RJ) e São Francisco e também sobre a crise hídrica do Nordeste.

Planeta Água antecipa os debates do Fórum Mundial da Água 2018, que Brasília vai sediar, entre 18 e 23 de março, reunindo representantes de mais de 100 países. A mostra apresenta documentários e ficções que permeiam a relação do homem com a água, fazendo um recorte sob a ótica cultural e projetando um panorama internacional da questão da água em várias regiões do planeta. Ao todo são 32 filmes, sendo 27 documentários e cinco ficções, que abordam diferentes aspectos ligados ao tema da água.

Debatedores:
- Sérgio Besserman é ambientalista e economista carioca premiado. Membro do Conselho Diretor da WWF Brasil, trabalha no tema das mudanças climáticas desde 1992.

- Naidison de Quintella Baptista é teólogo, filósofo e coordenador nacional do Movimento da Articulação do Semiárido Brasileiro, da ASA BRASIL. É presidente da Associação Programa Um Milhão de Cisternas (AP1MC).

- Joaquim Gondim é um grande especialista na Ciência dos Recursos Hídricos. Atualmente, ocupa o cargo de Superintendente de Operações e Eventos Críticos da ANA – Agência Nacional de Águas.

Mediação de Bárbara Lins.

Debate Planeta Água: “Água e Sustentabilidade"
Dia: 16 de Março
Horário: 15h
Local: Teatro do CCBB
Entrada franca (com retirada de senhas, a partir de 1 hora antes, na bilheteria)

A divulgação deste projeto contempla quatro Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, que fazem parte da Agenda da Organização das Nações Unidas com metas para o ano de 2030.

06 ods100x100 013ods 100x100 014ods 100x100 015ods 100x100

 

 

Publicado em Notícias